Container e Construção Civil 01

Containers e Construção Civil

Giovanni Medeiros

© Mercator Media 2011

Idéia do caminhoneiro Malcom Mclean em 1937, o container é considerado por muitos estudiosos e economistas a maior inovação ocorrida no comércio mundial. Seu inventor é muitas vezes equiparado a Robert Fulton, um dos pais das maquinas a vapor que mudaram o mundo durante a Revolução Industrial. Recentemente o objeto voltado para o transporte de bens, tem recebido novas funções através dos olhos de arquitetos e engenheiros ao redor do mundo.

 

Fonte: OpenMile

Inventado ainda nos anos 30, o sucesso dos contenedores de carga demoraria anos, o principal obstáculo, uma vez convencidos os investidores dos benefícios de redução de tempo e custo, seria a disputa entre empresas pela hegemonia de um modelo padronizado. A disputa entre as principais empresas de transporte marítimo se acirrou e teve seu ápice durante a década de 60, quando se estabeleceu através das ISO, um padrão de container que pudesse ser transportado eficientemente através dos diferentes meios de transporte, rodoviário, ferroviário e hidroviário, podendo passar por baixo de obstáculos como ponte e se adequar a estruturas viárias urbanas facilmente.

Após o inicio da utilização em larga escala do container, o custo do frete viria cair de 20% para 1% do custo final da mercadoria. Nas décadas posteriores aos anos 80, as exportações mundiais cresceriam cerca de 500% devido ao uso destes.

PROJETOS COM CONTAINERS

Solução encontrada pela empresa Tempo Housing, o projeto de habitação estudantil Keetwonen na Holanda, é um dos maiores complexos habitacionais em containers do mundo, tendo surgido como resposta as dificuldades em se construir moradias para estudantes, com baixo custo de construção e curto prazo de execução.

 

© TempoHousing

Inspirado pelos conceitos de Upcycling de William McDonough, a residência projetada pelo arquiteto Adam Kalkin para ele mesmo, toma partido dos containers para criar áreas intimas na casa, enquanto o espaço residual entre estas, coberto por um telhado metálico que une o conjunto todo, cria a área social da moradia.

 

Fonte: Design Boom

Um exemplo de uso comercial é a loja da grife esportiva Puma, a Puma City, do escritório Lot-Ek, montada com 24 containers de40 pés, foi criada para ser facilmente desacoplada e transferida para nova locação, é um belo exemplo da composição arquitetônico que pode ser obtida ao se trabalhar o balanço possibilitado pela estrutura própria do objeto.

 

© Danny Bright

Puma City © Danny Bright

Mais um exemplo de utilização de TEU (sigla para tweenty feet equivalent unit ou resumidamente unidade de vinte pés), o projeto do escritório Urban Space Management cria “cidades” modulares de containers com usos variados, comercial, habitacional ou misto.

 

© David Bank

Para os autores deste tipo de projetos ainda é necessário superar alguns obstáculos como a inércia social, ou falta de vontade em desenvolver e adotar novos métodos construtivos, o pré-conceito que cerca o conforto climático-acustico e estético das obras, além da dificuldade recorrente para financiamento de projetos em container geralmente de cunho social.

 

Dados:

 

Para cargas, existem dois modelos standard de containers amplamente utilizados e com maior apelo para uso arquitetônico, o de 20 e o de 40 pés, a largura para os dois é de8 pés, e a altura pode variar de8,5 a9,5 pés.

 

Comprimento

20 pés(6 metros) /40 pés(12 metros)

Altura

8,5 pés(2,6 metros) /9,5 pés(2,9 metros)

Largura

8 pés(2,4 metros)

Peso próprio

3.180kg / 4.900Kg

Carga máxima

20.820Kg / 25.580Kg

FONTES:

STINTERNATIONAL

BLSCONTAINER

MAERSK

TempoHousing

Guandalini, Giuliano . A caixa que encolheu a Terra. < http://veja.abril.com.br/040407/p_104.shtml > acessado em 17 de outubro de 2011

Levinson, Marc (2006). The Box – How the Shipping Container Made the World Smaller and the World Economy Bigger. Editora Atual

 

 

Giovanni Medeiros
Mais conhecido pelo apelido Gjo (que se lê Dídio), é estudioso da literatura em quadrinhos, com especialização em semiótica dos super-heróis. Atualmente especializa-se em construções sustentáveis. Sua barba, um tanto intimidadora, contrasta com seu contínuo bom humor. Suas áreas de interesse vão de história a cinema, sempre com um tiquinho de carimbó.

Ver todos os posts de .

Comente você também! 4 comentários

  1. Excelente materia. muito astuto este Malcon Mclean. Uma boa solução para empresas em processo de crescimento.

    #
    santolino
  2. a revista AU, se eu não me engano na edição de setembro/2011 faz reportagens com alguns exemplos da reutilização de containers que vale a pena ver.

    Mas sempre tem que ter a ressalva para a solução do conforto térmico para a utilização desse sistema no Brasil, que se trata de um país tropical, lembrando também da acústica que tem que ser trabalhada. Senti falta dessas informações em muitas pesquisas que fiz sobre o assunto.

    #
    Thaisa Ferracini
    • Thaisa, boa tarde! Tenho estudado essa possibilidade para implantar um escritório e gostaria de tocar a obra, mas tenho dúvidas como tratar o interior no aspecto térmico e acústico. Qual seria a melhor solução e com menor custo? Tenho procurado publicações, mas não encontro. Obrigado.

      #
  3. Muito legal a divulgação no teu blog sobre esse tipo de construção, que no Brasil cada dia tem mais adeptos.
    Tenho um blog que aborda bastante esse tema, pra quem tem interesse segue o link para dar uma conferida!
    http://bemarquitetura.wordpress.com/

    Monique

    Contato@bemarquitetura.com

    #
    Bem Arquitetura

Comente